Como decolar minha empresa? 7 passos básicos

Vamos aos passos:

1- Separe 5% do faturamento do negócio para ações de marketing.

Esse deve ser seu investimento com anúncios, equipe e recursos tecnológicos. Altos investimentos em campanhas publicitárias e ações em mídias sociais costumam ser associados a grandes empresas. No entanto, com a necessidade de expansão de mercado, também as microempresas têm dado certa atenção a investimentos em comunicação.

Se você está começando do zero pode ser necessário injetar mais capital nessa área do seu negócio.

Em um check-list iniciante você deve considerar o investimento em:

  • Criação da logomarca
  • Desenvolvimento do site
  • Construção de materiais gráficos como cartões de visita.

Em um segundo momento é importante incluir no plano de investimento as ações contínuas que devem fazer parte de seu planejamento mensal de negócio. Entre elas:

  • criação da plataforma de vendas;
  • SEO;
  • gestão de redes sociais;
  • links patrocinados em plataformas como Google Ads e Facebook Ads;
  • gestão de e-mail marketing;
  • gestão de marketing de conteúdo.

 

2- Estruture o seu negócio em 3 grandes pilares: pessoas, tecnologia e marketing.

Pessoas são a essência de qualquer empresa,  saiba escolher e treinar os melhores. Contrate paixão e caráter, treine habilidades técnicas. Tecnologia é essencial para quem quer ser diferente dos demais. Marketing será seu principal motor para aumentar vendas. Com a pandemia, a transformação digital acelerou as empresas já estavam nas mãos do seu público, com a ampliação da digitalização e da presença das marcas online, assim a interação ficou ainda mais potencializada; as empresas precisaram mudar a maneira de se relacionar com seus clientes. Utilizar todas as possibilidades da tecnologia é fundamental para que um negócio seja conhecido e constantemente relembrado pelas pessoas. Por conta da quantidade quase infinita de informações expostas na internet diariamente, é difícil de manter um relacionamento próximo com consumidores sem ter o conteúdo bem planejado, mas ao mesmo tempo dinâmico e flexível, a fim de acompanhar as mudanças e interações que ocorrem diariamente.

 

3- Tenha uma proposta de negócio simples

Você consegue explicar sua ideia de negócio em poucas palavras? Se não consegue, provavelmente terá dificuldade para conquistar clientes – e talvez você tenha de refletir melhor sobre quais problemas sua empresa resolve. Fazer o simples bem feito primeiro para depois tentar fazer o complexo, essa é a regra de ouro. Tenha diferenciais de mercado que sejam fáceis de serem compreendidas pelo público alvo. Se tiver que explicar muito quais são seus pontos fortes, é provável que tenha dificuldade de aceitação.

 

4- Faça um bom plano de negócios e mantenha-se focado

Após Após uma ideia, o próximo grande passo para criar uma empresa é elaborar um plano de negócios. Ele deve conter aspectos como formas de receita e de despesas, quantidade de funcionários, estratégia de vendas e previsão de alcançar o ponto de equilíbrio financeiro, por exemplo. O plano de negócios nada mais é do que um grande roteiro sobre tudo aquilo que vai acontecer, desde a realização do pré-operacional até o dia a dia do negócio.

O plano de negócios é importante tanto para quem está abrindo o negócio quanto para quem está ampliando o empreendimento. Vale destacar que esse planejamento não elimina os riscos, mas evita que erros sejam cometidos pela falta de análise, diminuindo as incertezas do seu negócio.

  • Organiza as ideias ao iniciar um novo empreendimento.
  • Orienta a expansão de empresas já em atividade.
  • Apoia a administração do negócio, seja em seus números, seja em estratégias.
  • Facilita a comunicação entre sócios, funcionários, clientes, investidores, fornecedores e parceiros.
  • Capta recursos, sejam financeiros, humanos ou parcerias.

5- Não acredite no sucesso fácil

Histórias de sucesso no mundo do empreendedorismo existem aos montes. Porém, por trás de trajetórias espetaculares também há muitas dificuldades, incluindo fracassos anteriores. Montar um negócio não é nada fácil, e o empreendedor de primeira viagem deve estar disposto a aceitar tal desafio. O empreendimento é como um filho: para crescer saudável, é preciso ter muito empenho e paixão. Ser empresário não é fácil, mas, com os pés no chão e muita dedicação, o seu negócio está fadado ao sucesso. Esteja preparado para trabalhar mais do que trabalha, receber menos do que recebia e não ter garantia alguma de sucesso. Se ficar em dúvida em algumas dessas questões, recomendo repensar a ideia de empreender. Não desista diante da primeira dificuldade. Afinal, muitos empresários que hoje alcançaram o sucesso já tiveram de fechar muitos outros negócios e tomar decisões de vida difíceis. Em um país como o nosso, o mais importante é manter-se focado e aceitar as adversidades como uma realidade dos negócios – e, com isso, criar bases sólidas para manter a empresa viva.

 

6 – Fique de olho nas suas finanças

As finanças são uma parte essencial de todo negócio: afinal, nenhuma ideia pode sobreviver mais do que alguns meses sem se tornar rentável. Um primeiro conceito importante para os empreendedores é o fluxo de caixa. Ele mostra como estão as receitas e despesas da sua empresa em um determinado dia, semana ou mês. A maior causa de mortalidade de novas empresas é a falta de dinheiro para girar o fluxo de caixa. Geralmente, a demora entre a aceitação do produto, o início das vendas e a sustentabilidade do fluxo de caixa é de seis meses. Além de priorizar investimentos, pense em atividades que você consegue desempenhar sozinho. Depois, quando seu negócio levantar voo, você pode contratar funcionários e focar apenas na parte estratégica da empresa. 

 

7- Analise seus concorrentes com frequência.

Planejamento estratégico é o pensar da empresa. Quem é a empresa? Onde está posicionada? Para onde vai? Como chegará lá? Assim, o planejamento estratégico é o pensamento sistêmico estruturado, organizado para que a empresa alcance seus objetivos. É a ferramenta física para que o empresário possa colocar no papel ou no computador as estratégias, monitorando e avaliando constantemente os resultados. E o detalhamento de como a empresa vai atuar para alcançar os objetivos gerais e funcionais, cumprindo sua missão e realizando a visão de futuro. Níveis de planejamento O planejamento é elaborado em três níveis da organização: Estratégico: Compreende ações normalmente associadas às decisões de maior impacto em uma empresa. Em geral, são tomadas pelo grupo diretivo, o presidente e seus diretores. Como exemplos, a construção de uma nova fábrica, o início das operações em outro estado, uma aliança com um concorrente, vender parte do negócio ou adquirir outra empresa. Caracteriza-se por ter influência no longo prazo e por impactar a organização como um todo. Ações estratégicas são um parâmetro para as ações táticas e operacionais. Tático: Ocorre tipicamente no nível gerencial, e normalmente consiste em decisões para concretizar as decisões estratégicas. Assim, se comprar uma nova empresa é uma decisão estratégica, definir a nova estrutura organizacional ou a nova linha de produtos das empresas integradas é uma decisão tática que concretiza a estratégia. Caracteriza-se por um impacto de médio prazo e sua extensão limita-se a um conjunto de áreas ou setores da organização. Operacional: Representa a materialização das decisões estratégicas e táticas no dia a dia da empresa. São decisões cotidianas, de operações, e seu impacto, em teoria, limita-se ao curto prazo. Alguns exemplos: a negociação de preços de um produto de uso cotidiano, a contratação de um novo analista ou a adoção de uma política de descontos numa curta temporada para desovar estoques. Sua extensão afeta uma área ou setor específico.

Com a Ferramenta da Matriz SWOT você vai aprofundar o conhecimento a respeito da sua organização e ter uma análise do contexto externo em que seu negócio está inserido. Indicada para organizações de todos os portes. É útil porque proporciona uma análise dos pontos fortes (strenghts) e fracos (weaknesses), e as oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) de um negócio. Em seguida, o empreendedor pode organizar um plano de ação para reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso da empresa. As 5 Forças de Porter ajuda você conhecer bem os concorrentes do seu negócio. Saberia dizer exatamente o que sua empresa faz melhor do que eles e em que pontos eles se destacam? Com a Ferramenta 5 Forças de Porter você faz uma reflexão sobre a rivalidade entre seus concorrentes, produtos e serviços substitutos, poder de barganha dos fornecedores e clientes e como dificultar a entrada de novos players. Indicada para organizações de todos os tamanhos, que queiram analisar o ambiente competitivo em que estão inseridas e para determinar o melhor posicionamento do negócio diante dos concorrentes. É útil porque o empreendedor passa a ter uma visão mais abrangente da concorrência e de como pode tirar proveito disso.

 

Leia também:

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-centro-medico-hospitalar/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-creche-escola/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-imobiliarias/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-drogarias-online/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-home-care-de-enfermagem/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-vidracarias/

https://agenciamaisresultado.com.br/marketing-digital-para-oftalmologia/

 

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.