Marketing de conteúdo: entenda o que é de forma divertida e inspiradora

Marketing de conteúdo: quer entender de forma divertida e inspiradora o que é?

Corre para a Netflix e assiste (ou revê com esse olhar) Madame C. J. Walker.

Baseada em fatos reais, é uma história do início dos anos 1900 de uma ex-lavadeira, negra, em crise, emocionalmente abalada a ponto de começar a perder os cabelos, até que conhece um produto capilar que resolve seu problema.

Junto com o tratamento, ela recupera sua autoestima ao mesmo tempo em que descobre sua missão de vida: ajudar outras mulheres negras, que também poderiam estar passando por dores semelhantes.

E aí começam seus desafios…

Inicialmente, ela resolve virar vendedora para levar a solução até o máximo de consumidoras, mas é rejeitada pela empresária que lhe apresentou o produto. Então, parte para descobrir uma fórmula equivalente, criando o seu próprio negócio.

E tudo se desenrola em quatro episódios que funcionam como uma aula prática de empreendedorismo, endomarketing e também “marketing de conteúdo”.

Marketing de conteúdo: descobrindo seu poder na prática

Para alinhar, marketing de conteúdo não é exclusividade da Era Digital.

A Madame Walker viveu no início do século passado, mas a protagonista usa com maestria os benefícios dessa estratégia.

Muito resumidamente, marketing de conteúdo é uma forma de comunicação que atrai o público ao mostrar como uma marca pode ser útil para resolver suas dores e desejos.

Marketing de conteúdo é focado nas pessoas, não no produto. Em relacionamento, não na venda direta. E é isso que Walker faz.

De início, ela tentou abordar mulheres, apresentando o produto. Como não estava funcionando,  partiu para mostrar o quanto conhecia a dura realidade daquelas pessoas, gerou identificação, contou sua história.

O uso do storytelling como aliado

“Sei como é difícil cuidar do nosso cabelo. Sei como é não ter água corrente ou produtos feitos para nós.” Foi com frases assim, capazes de gerar conexão total com seu público de mulheres negras, que Madame Walker foi ganhando atenção.

Resumindo, ela passou a compartilhar sua própria jornada transformadora – das dores e dificuldades até a solução. “Meu cabelo voltou, minha autoconfiança também.”

Com isso, quem parava para ouvi-la era envolvido, movido pela esperança de também superar seus próprios e semelhantes conflitos.

Depois de sentir na pele o poder de um storytelling praticado com verdade e confiança, ela estava pronta para superar qualquer obstáculo. “Agora que aprendi a contar minha história, não posso mais ficar em silêncio.”

Sr. Walker e a comunicação do século passado

E tem mais aula prática nessa história.

Depois dos cabelos tratados, nossa protagonista se casa de novo. Dessa vez, com o tal do C. J. Walker, que deu nome aos produtos recém-criados e à empresa.

O Sr. Walker era publicitário e, com toda boa vontade, tentou ajudar a esposa na divulgação. Criou um layout, uma bela arte, de acordo com os padrões da comunicação da época.

Mas olha o diálogo que se seguiu entre ele e a sua visionária esposa:

Ele (ou o modelo antigo de comunicação): “Querida, tem que dar um show. Dar esperança às pessoas.”

Ela (ou o marketing de conteúdo): “Não quero promessas falsas. Não posso prometer cabelos longos e sedosos, como está aí.”

Ele: “O que quer que mude?”

Ela: “Coloque minha história. Tem que ser pessoal, ter depoimentos. As pessoas têm que acreditar em mim.”

E, com isso, a gente já emenda em dois outros pontos fundamentais de qualquer boa estratégia de conteúdo: autenticidade e humanização.

Autenticidade e Humanização: a confiança que faz a diferença

Como a autoridade no assunto, Rafael Rez, disse no livro “Marketing de Conteúdo, a Moeda do Século XXI”: o marketing de conteúdo é a evolução da propaganda.

A gente concorda.

Marketing de conteúdo não é venda direta. Ele atrai. Para depois vender.

Esse processo pressupõe autenticidade e humanização na comunicação, porque é isso que gera a confiança do público. Mais dois pontos positivos para a Madame Walker.

Em todos os aspectos, ela era a autenticidade em forma de gente. Sem medo de haters. E sem medo dos poderosos.

Seu ponto de vista era sempre apresentado com educação e muita firmeza. O que acabou atraindo fãs e abrindo portas.

Além disso, fazia questão de humanizar seus produtos e sua empresa, de forma que a representasse e reforçasse sua verdade, sinceridade e honestidade.

Para completar: experimentações, provas sociais e muito feedback

Obviamente, Madame Walker não conhecia o marketing de conteúdo na teoria, mas usou vários outros ingredientes de sucesso dessa estratégia, como:

  • Amostras grátis ou “iscas”– sem colocar a venda na frente do relacionamento, ela oferecia produtos e, mais tarde, quando abriu seus salões, experimentações de tratamentos. Hoje é comum darmos “amostras” das soluções que oferecemos, como e-books, webinários etc., sem cobrar por isso.
  • Feedback– desde o início também se interessava pelo que as pessoas estavam achando e usava isso a seu favor. O produto que criou, por exemplo, tinha um cheiro bom, uma melhoria em relação ao outro, que a inspirou a começar seus negócios e que provocava muitas críticas pelo odor.
  • Provas sociais– quem sentiu o poder de contar uma história de sucesso como a sua, fazia questão também de ouvir as opiniões das outras consumidoras. E usando de novo suas palavras na conversa citada acima com o marido sobre a peça de comunicação: “Tem que ser pessoal, ter depoimentos”. É também o que fazemos hoje com as famosas provas sociais.

Mais Resultado

Com tudo isso e, claro, com muitas características bem-vindas para um empreendedor de sucesso, ela fez o impossível.

No final, nossa heroína entrou para o Guiness Book como a primeira mulher negra na história a se tornar milionária no seu país.

Afinal, partiu do nada para criar produtos, inaugurar salões e fábricas. Deixou uma fortuna estimada em US$ 8 milhões. E chegou a ser vizinha de Rockfeller.

Entre tantos aprendizados, a mensagem maior que fica é: se, naquela época, ela fez tanto usando princípios do marketing de conteúdo, imagina o que pode ser feito hoje com essas mesmas estratégias e os recursos atuais.

Tudo que a Madame Walker desenvolveu é potencializado por meio da internet, das redes sociais, do inbound marketing, das técnicas de SEO e de tantas outras ferramentas e facilidades tecnológicas que permitem mais conexão entre as pessoas. E é isso que a gente faz aqui na Mais Resultado.

Para saber mais, entre em contato. E vamos conversar sobre como atingir suas metas e objetivos.

 

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Usamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência.